Verbos regulares e irregulares

Oi filha linda e querida,

Em Português, as verbos, são conjugados flexionando-se as desinências, nos dizendo o tempo, pessoa, número e modo em que estão.

De um jeito ou de outro, você vem estudando os verbos faz alguns muitos meses. Para a sua alegria, informo que ainda vai estudar os verbos por muito tempo, pois eles são uma classe muito especial de palavras (lembre-se o porquê disso).

Hoje vamos conversar sobre os verbos regulares e os irregulares, mas antes temos que definir alguns conceitos.


Conjugações

Todos os verbos, tanto os verbos regulares quanto os irregulares, se classificam em função das formas de conjugações a que pertencem. Assim, os verbos são divididos em três tipos de conjugação, de acordo com o término das palavras:

  • Primeira conjugação: –AR;
  • Segunda conjugação: –ER;
  • Terceira conjugação: –IR.

Morfemas

São as unidades significativas mínimas que, ao se unirem, compõem cada palavra, formando um todo semântico.

Os morfemas são compostos por:

  • Radical ou base: designa a ideia básica da palavra e, a partir da qual novas palavras são formadas.
    Exemplos: dúvida – duvidosaindubitável.
  • Afixomorfema que se une ao radical, por meio do qual novas palavras são formadas. Podem ser:

Prefixo: morfema que vem à frente do radical.
Exemplo: repisar (re + pisar), o prefixo re indica a repetição de algo (pisar novamente). Essa mesma ideia existe em: repensar, reavaliar e  rememorar.

Sufixo: morfema que vem após o radical.
Exemplo: operário (operar + ário), o sufixo ário designa aquele que tem a função de operar algo. Essa mesmo modelo existe em: voluntário, estagiário veterinário.


Desinências

São morfemas que indicam, na conjugação, o modo, o tempo, o número e a pessoa de um verbo. De forma mais simples, são as terminações dos verbos por meio das flexões. Essas desinências podem ser classificadas como:

Desinência modo temporal: são indicados o modo e o tempo em que a ação acontece, em cantavas, a desinência indica o pretérito imperfeito do modo indicativo.

Desinência número pessoal: são indicados o número e a pessoa do verbo, em canto, a desinência que indica o verbo em primeira pessoa do singular.


Verbos regulares e irregulares

Os verbos regulares são aqueles que seguem os modelos de conjugação sem alterar radicais e desinências. Exemplos:

Verbo regular Infinitivo Presente do Indicativo Pretérito Perfeito Futuro do Presente
1a Conjugação
AR
 CANTAR CANTO CANTEI CANTAREI
2a Conjugação
–ER
 BATER BATO BATI BATEREI
3a Conjugação
–IR
 PARTIR PARTO PARTI PARTIREI

Já os verbos irregulares são aqueles que não seguem esse modelo bem definido e acabam sofrendo alterações nos radicais e desinências. É difícil determinar um padrão para estas irregularidades, que podem variar muito. Assim, se não temos familiaridade com um determinado verbo irregular, podemos ter dificuldade com a sua conjugação (portanto, ler ajuda muito nesse processo). Exemplos:

Verbo irregular Infinitivo Presente do Indicativo Pretérito Perfeito Futuro do Presente
1a Conjugação
AR
 DAR DOU DEI DAREI
2a Conjugação
–ER
 CABER CAIBO COUBE CABEREI
3a Conjugação
–IR
 OUVIR OUÇO OUVI OUVIREI

Beijo do pai!

Advertisements

2 comments

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s