Complexo Regional Nordestino

Oi filha querida,

Nesse longo post, vamos conversar sobre o Complexo Regional Nordestino.

Assim não vamos falar sobre a Região Nordeste política, composta pelos estados e capitais etc, vamos, na verdade, enfocar o ponto de vista geoeconômico.


Localização

O Complexo Regional Nordestino é uma das três regiões geoeconômicas do Brasil, ao lado do Centro-Sul e da Amazônia, tem uma área superior a 1,5 milhões km² (cerca de 20% do território brasileiro) e abriga cerca de 25% da população do país.

Compreende os seguintes estados e áreas:

  • Alagoas;
  • Bahia;
  • Ceará;
  • Paraíba;
  • Pernambuco;
  • Piauí;
  • Rio Grande do Norte;
  • Sergipe;
  • Leste do Maranhão;
  • Norte de Minas Gerais.
emean1unigeoc009028
Complexo Regional Nordestino.

Geografia física

O Complexo Regional Nordestino se divide em quatro sub-regiões principais:

  • Zona da Mata;
  • Agreste;
  • Sertão;
  • Meio-Norte.
tumblr_inline_mnspb2eFZw1qz4rgp
Sub-regiões nordestinas.

O território nordestino é constituído majoritariamente por planaltos, além de algumas planícies e depressões interplanálticas.

A Depressão Sertaneja se encontra entre dois planaltos, o que dificulta a ocorrência de chuvas, motivando longos períodos de seca na região, em algumas épocas.

Merece um especial destaque a Chapada Diamantina, localizada na bacia do Rio Parnaíba.

370610046-XG
Chapada Diamantina.

Hidrografia

Complexo Regional Nordestino apresenta, em sua maioria, rios intermitentes, isto é, aqueles que secam em determinados períodos. Os rios perenes são em menor número e possuem marcada importância regional.

No entanto, a região possui um bom potencial hidrelétrico, com a presença de usinas geradoras de energia, como a de Três Marias, Sobradinho e algumas outras.

Há ainda o Rio São Francisco, de marcada importância, muito utilizado para irrigação, transporte e abastecimento de populações ribeirinhas.

nehidr
Hidrografia do Nordeste e aproveitamento hidrelétrico.

Vegetação e clima

Os tipos de vegetação predominantes no Complexo Regional Nordestino são a Caatinga e, mais ao litoral, a Mata Atlântica, contando com a presença do Cerrado em parte do estado da Bahia.

geo-h-e7ocap10nordeste-16-638
Mapa da vegetação do Nordeste.

Em termos de clima, além do semiárido característico do Agreste e do Sertão, há a presença do clima tropical na Zona da Mata e equatorial úmido nas localidades mais próximas à Amazônia.

clima
Mapa climático do Nordeste.

Desenvolvimento econômico

O Nordeste não apresenta uma uniformidade em todo o seu espaço regional, isto é, podemos dizer que existem vários “nordestes”. Essa visão de uma região nordestina como algo único é relativamente recente, firmando-se ao longo do século XX.

Até o final do século XIX, o Nordeste era uma das regiões economicamente mais desenvolvidas do país, concentrando os principais polos econômicos e de poder na época. Nesse período destacam-se os seguintes pólos de desenvolvimento econômico:

  • Zona algodoeira-pecuarista no Sertão;
  • Zona açucareira na Zona da Mata.
Brasil - Ciclos Econômicos - século 19
Ocupação econômica do Brasil no século XIX.

É importante destacar que a região que hoje é o Maranhão teve uma administração colonial diferenciada. E as áreas correspondentes ao Ceará e ao Piauí sempre mantiveram uma baixa integração com o seu entorno.

Com o processo de industrialização, iniciado na década de 1930 e intensificado nos anos 1950, o Nordeste deixou de ser considerado em sua pluralidade e passou a ser visto como uma região única. Concomitantemente houve a concentração de recursos, de infraestrutura e de poder no Sudeste do Brasil, mais exatamente em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Esse processo desenvolvimento desigual, acompanhado de uma urbanização também marcadamente desigual, transformou o Complexo Nordestino de uma região economicamente avançada num pólo fornecedor de migrantes para o Centro-Sul brasileiro, processo que só sofreu diminuição no início do século XXI.

migracao-02
Fluxos migratórios no Brasil, de 1950 a 1990.
mapa-migracao-2000
Fluxo migratório no Brasil na década de 2000.

Hoje em dia se pode dizer que o Complexo Regional Nordestino apresenta o seguinte panorama de desenvolvimento econômico:

Indústria:

Expressivo crescimento econômico nos últimos anos, com a instalação de diversas indústrias, algumas delas buscando de benefícios fiscais. Destaque para:

  • Distrito Industrial de Ilhéus (Bahia);
  • Complexo Industrial de Suape (Pernambuco)
  • Distrito Industrial de Maracanaú (Ceará).

Na área de TI (Tecnologia da Informação), há o Porto Digital do Recife (grande pólo tecnológico do país), com grande destaque na produção de softwares.

Petróleo:

Destaque para a produção de petróleo no estado do Rio Grande do Norte. A região Nordeste é a segunda maior do Brasil em produção de petróleo. No estado da Bahia está instalado o Pólo Petroquímico de Camaçari, um dos mais importantes do país.

Pecuária, agricultura e psicultura:

Na pecuária grande destaque na criação de cabras, com o maior rebanho de cabras do país com cerca de 8 milhões de cabeças.

Na agricultura, há a produção de frutas tropicais (manga, abacaxi, caju, banana, acerola, goiaba, etc) em regiões irrigadas, nos estados da Bahia e Pernambuco. Há também boa produção de mel.

Outro ponto forte é a criação e comercialização de camarão, pois a região é favorecida climaticamente para esta atividade.

Turismo:

O turismo também é outra importante fonte de renda. Milhares de turistas estrangeiros e de outras regiões do Brasil visitam anualmente o Nordeste em busca das lindas praias, paisagens e também do clima quente.

Beijo do pai!

Advertisements

2 comments

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s