Regionalização do espaço brasileiro

Oi filha querida,

Vamos agora conversar sobre as regiões do Brasil, tema muito importante para quem quer entender o País.


O que é regionalizar?

É a divisão de um espaço ou território em áreas que apresentem características que as individualizem. A regionalização pode ser estabelecida por diversos critérios físicos, socioeconômicos etc e pode ter variados objetivos, como político, administrativo, planejamento etc.


Regionalização oficial (IBGE)

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil está dividido em cinco Regiões, essa configuração foi definida em 1970, com uma alteração em 1988, quando Tocantins foi desmembrado de Goiás, tornando-se um estado autônomo. A regionalização do IBGE é a oficialmente empregada pelo governo brasileiro.

As regiões do Brasil agrupam das unidades da federação em regiões com a finalidade ajudar as interpretações estatísticas, simolificar a gestão ou orientar a aplicação de políticas públicas. Atualmente, existem cinco regiões oficiais: Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sudeste e Sul.

mapa-brasil-regioes65
Regionalização oficial do Brasil (IBGE).

As regiões apresentam as seguintes características:

Região Norte

Apresenta a maior extensão territorial, com uma área de 3 853 327 km². Contém os seguintes estados:

  • Acre (AC), capital Rio Branco;
  • Amazonas (AM), capital Manaus;
  • Amapá (AP), capital Macapá;
  • Pará (PA), capital Belém;
  • Roraima (RR), capital Boa Vista;
  • Rondônia (RO), capital Porto Velho;
  • Tocantins (TO), capital Palmas.

Possui a menor densidade demográfica do país. Sua população total é de 15.864.454 habitantes.

Região Centro-Oeste

Possui a segunda maior extensão em território entre todas as Regiões, com uma área de 1 606 371 km². Contém as seguintes unidades federativas (o Distrito Federal não é um estado):

  • Goiás (GO), capital Goiânia;
  • Mato Grosso (MT), capital Cuiabá;
  • Mato Grosso do Sul (MS), capital Campo Grande;
  • Distrito Federal (DF), sede de governo Brasília.

A população total é de 14.058.094 habitantes. A Região Centro-Oeste é menos populosa, essa parte do país atravessa um período de intenso desenvolvimento, especialmente das atividades da agropecuária e agroindústria.

Região Nordeste

Segunda região em número de habitantes, superada somente pela Região Sudeste, possui uma população de 53.081.950 habitantes que se encontra em uma área de 1 554 257 km². Essa Região abriga os estados:

  • Maranhão (MA), capital São Luís;
  • Piauí (PI), capital Teresina;
  • Ceará (CE), capital Fortaleza;
  • Rio Grande do Norte (RN), capital Natal;
  • Paraíba (PB), capital João Pessoa;
  • Pernambuco (PE), capital Recife;
  • Alagoas (AL), capital Maceió;
  • Sergipe (SE), capital Aracaju;
  • Bahia (BA), capital Salvador.

Os principais desafios dessa região estão ligados à seca e aos intensos desequilíbrios socioeconômicos lá existentes.

Região Sudeste

Região que abrange uma área de 924 511,3 km² e abriga a maior população do país, com 80.364.410 habitantes. Nela estão estabelecidos os estados:

  • São Paulo (SP), capital São Paulo;
  • Minas Gerais (MG), capital Belo Horizonte;
  • Rio de Janeiro (RJ), capital Rio de Janeiro;
  • Espírito Santo (ES), capital Vitória.

É a Região mais industrializada e mais desenvolvida economicamente, no entanto, sofre com diversos problemas urbanos de ordem social.

Região Sul

É a menor Região do país quanto à extensão territorial, ocupando uma área de 576 mil km², onde está distribuída uma população de 27.386.891 habitantes. A Região Sul é composta pelos estados:

  • Paraná (PR), capital Curitiba;
  • Santa Catarina (SC), capital Florianópolis;
  • Rio Grande do Sul (RS), capital Porto Alegre.

Esta Região possui uma particularidade climática em relação às demais Regiões, pelo fato de prevalecer o clima subtropical.


Regionalização em complexos regionais ou geoeconômicos

Existe uma regionalização não-oficial, que, no entanto, é muito empregada para o estudo do País. Trata-se da regionalização proposta pelo geógrafo Pedro Pinchas Geiger, que divide o Brasil em três grandes regiões geoeconômicas ou complexos regionais: Centro-Sul, Nordeste e Amazônia.

Essa regionalização leva em conta:

  • O processo histórico de formação do território brasileiro;
  • E as semelhanças históricas, econômicas e culturais.

Formando os chamados complexos regionais.

emean1unigeoc009001
Regionalização de Pedro Pinchas Geiger.

Vale a pena observar que essa regionalização não respeita completamente os limites entre os estados, como por exemplo: Maranhão e Minas Gerais pertencem a duas regiões diferentes.

Complexo Centro-Sul

O Centro-Sul é na atualidade o núcleo econômico do país. Concentra a economia moderna, tanto no setor industrial como no setor agrícola, além da melhor estrutura de serviços. Nele se também a capital política do país (Brasília). É um pólo de atração populacional que, no século XX, originou as maiores metrópoles nacionais. O ritmo acelerado desse crescimento criou disparidades sociais gravíssimas, como desemprego, favelamento e problemas ambientais de difícil solução. Essa Região abriga os estados:

  • Sul de Tocantins (TO), capital Palmas;
  • Goiás (GO), capital Goiânia;
  • Sul do Mato Grosso (MT), capital Cuiabá;
  • Mato Grosso do Sul (MS), capital Campo Grande;
  • Distrito Federal (DF), sede de governo Brasília
  • São Paulo (SP), capital São Paulo;
  • Centro e sul de Minas Gerais (MG), capital Belo Horizonte;
  • Rio de Janeiro (RJ), capital Rio de Janeiro;
  • Espírito Santo (ES), capital Vitória;
  • Paraná (PR), capital Curitiba;
  • Santa Catarina (SC), capital Florianópolis;
  • Rio Grande do Sul (RS), capital Porto Alegre.

Complexo Nordeste

Foi o pólo econômico mais rico da América portuguesa no período Colonial. Tornou-se, no século XX, uma região economicamente problemática, com grande excedente populacional. As migrações de nordestinos para outras regiões atestam essa situação de pobreza.

O Nordeste abriga imensos recursos econômicos e humanos, que apontam caminhos para a superação de uma crise que já se prolongou demais. As transformações introduzidas nas zonas irrigadas do Vale do São Francisco e a criação de zonas industriais na área litorânea comprovam essa possibilidade.

Nela estão estabelecidos os estados:

  • Leste do Maranhão (MA), capital São Luís;
  • Piauí (PI), capital Teresina;
  • Ceará (CE), capital Fortaleza;
  • Rio Grande do Norte (RN), capital Natal;
  • Paraíba (PB), capital João Pessoa;
  • Pernambuco (PE), capital Recife;
  • Alagoas (AL), capital Maceió;
  • Sergipe (SE), capital Aracaju;
  • Bahia (BA), capital Salvador;
  • Norte de Minas Gerais (MG), capital Belo Horizonte.

Complexo Amazônia

É o espaço de povoamento mais recente, ainda em estágio inicial de ocupação humana. Trata-se de área recoberta por densa floresta, com clima equatorial, que dificulta o povoamento. Os movimentos migratórios na direção desse complexo regional partem tanto do Centro-Sul, como do Nordeste, sendo que hoje é a região mais recebe população.

Hoje esse povoamento se acelerou muito, a tal ponto que os conflitos pela posse da terra se tornaram tristemente comuns. Formaram-se também grandes cidades, caracterizadas pelo crescimento explosivo e por profundos desequilíbrios sociais e econômicos.

É composta pelos estados:

  • Acre (AC), capital Rio Branco;
  • Amazonas (AM), capital Manaus;
  • Amapá (AP), capital Macapá;
  • Pará (PA), capital Belém;
  • Roraima (RR), capital Boa Vista;
  • Rondônia (RO), capital Porto Velho;
  • Norte de Tocantins (TO), capital Palmas.
  • Oeste do Maranhão (MA), capital São Luís;
  • Centro e norte do Mato Grosso (MT), capital Cuiabá.

Exercícios

Resolva às seguintes questões:

(Fuvest 98) A divisão do território brasileiro em 3 grandes complexos regionais -Amazônia, Nordeste e Centro-Sul – tem a vantagem de caracterizar

A) a Amazônia, com seus recursos explorados a partir de um planejamento global do Estado.
B) o Nordeste, como um pólo de atração demográfica, em decorrência do turismo.
C) o Centro-Sul, como região socioeconômica de poucos contrastes internos.
D) a homogeneidade econômica no interior de cada complexo, do ponto de vista agropecuário.
E) a especialidade do processo socioeconômico, considerando a gênese histórica de cada complexo.

(PUC MG 99) Refere-se às grandes regiões geoeconômicas brasileiras:

I. A Amazônia é a região mais extensa e com a paisagem menos modificada do espaço geográfico brasileiro; atualmente, é pólo de atração populacional.
II. O Nordeste, antiga área de ocupação, hoje é pólo de repulsão demográfica, devido à estagnação da economia na maior parte do espaço e à falta de eficazes programas governamentais e empresariais.
III. O Centro-Sul tem perdido significativos índices de sua produção agrícola e industrial para as novas fronteiras agrícolas e pólos de desenvolvimento subsidiados por Superintendências Regionais.

a) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
b) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
c) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
d) se todas as afirmativas estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem incorretas.

Beijo do pai!

Advertisements

2 comments

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s