O Renascimento Científico e a Igreja

Oi filha,

Agora vamos conversar sobre o Renascimento Científico e a Igreja.

O Renascimento Científico se insere no contexto do Renascimento, ocorrido na Europa entre os séculos XIV e XVI. Foi um período de significativos avanços nas ciências, possibilitados pelos estudos e experimentos de grandes cientistas.


Contexto Histórico

Na Idade Média, a busca de conhecimentos era por meio dos livros clássicos, copiados à mão nos mosteiros. O acesso a essas obras era muito restrito e praticamento apenas os monges e os teólogos católicos tinham a capacidade de ler e a possibilidade acessar os livros.

Desta forma, a pesquisa científica era muito influenciada pelo pensamento da Igreja Católica da época, que buscava explicar os fenômenos da natureza por meio da intervenção divina.

Havia então uma espécie de conflito, ao mesmo tempo em que a pesquisa científica era viabilizada por meio da Igreja, não havia liberdade para se questionar, cientificamente, os dogmas cristãos.

Ao longo do Renascimento houve uma grande mudança na produção de conhecimento. A razão, isto é, a explicação racional dos fenômenos naturais, passou a ser o principal objetivo daqueles que buscavam desvendar os mistérios do mundo físico. O que se buscou foi a separação do mundo espiritual (fé), do mundo natural (ciência).

Assim, mesmo enfrentando forte oposição da Igreja, os cientistas encontraram métodos de produção de conhecimento através da experimentação, observação e comprovação.


Inovações do Renascimento Científico

Passou-se a empregar a pesquisa e a investigação para a produção de conhecimento científico. E houve aumento da divulgação e intercâmbio dos conhecimentos científicos, a invenção da prensa de tipos móveis por Gutenberg em 1439 simplificou a produção de livros.

As descobertas científicas alteraram a forma das pessoas entenderem o funcionamento do mundo. Com isso, as explicações religiosas, sem fundamentação científica, foram sendo paulatinamente substituídas por explicações científicas.

Além de afetar a religião, esse novo modo de pensar a ciência, liberta dos dogmas religiosos, também impactou o pensamento filosófico e a estrutura de poder da época.


A Igreja e os principais cientistas do Renascimento

É interessante observar que vários dos cientistas do Renascimento tinham fortes ligações com a Igreja: Nicolau Copérnico era cônego (um tipo de religioso); Miguel Servet era padre; e vários outros tiveram seus estudos patrocinados direta ou indiretamente pela Igreja.

Isso se explica pois a Igreja Católica concentrava e difundia muito do saber da época.


Prensa de tipos móveis

Em 1439, Johannes Gutenberg inventou a prensa de tipos móveis, simplificando a produção de livros.

cropped Gutenberg Press at Museum
Réplica (operacional) da prensa de Gutenberg.

Essa invenção viabilizou a difusão de conhecimento fora do contexto exclusivo da Igreja, pois os livros não mais necessitavam ser copiados à mão, um a um.

O impacto da prensa de Gutenberg foi superior ao impacto da difusão da Internet.

Beijo do pai!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s