População, urbanização e industrialização da Amazônia

Oi filha querida,

Vamos agora completar a conversa a respeito da Amazônia, discutindo um pouco sobre povoamento, urbanização e industrialização da região.


População e urbanização na Amazônia

Vivem na Amazônia cerca de 17 milhões de pessoas, apesar de a região abranger cerca da metade do território brasileiro. Desta forma, o complexo Amazônico possui a menor densidade demográfica do País, cerca de 4 habitantes por km².

A população é bastante diversificada:

  • Os principais representantes da população amazônica são os caboclos e os índios, fortemente enraizada na floresta. Há cerca 130 mil índios, representando a maior concentração de indígenas do país.
cabo
O cabloco amazônico vive bem integrado ao meio onde vive.
  • Os portugueses foram os primeiros imigrantes a chegar e mudaram o nome de praticamente todos municípios para os de cidades portuguesas como Belém, Santarém, Bragança e Viseu.
  • No Pará, no Amazonas e em Tocantins é grande o número de imigrantes nordestinos, em especial do Ceará e do Maranhão, associados ao ciclo da borracha e outros ciclos de desenvolvimento mais antigos.
  • No Acre e em Rondônia há muitos paranaenses e gaúchos, de imigração mais recente, associada à expansão da fronteira agrícola.
  • Também num processo mais recente, a construção de rodovias como a Belém-Brasília e a implantação de grandes projetos, resultou numa enorme migração para a região.
trans
Registro da construção da Transamazônica, nos anos 70.
  • Os negros não são muito comuns no interior, mas tiveram uma presença marcante no litoral do Amapá, Pará e Maranhão.
  • Os japoneses chegaram na região no início do século XX, em pequeno número, para o cultivo da pimenta do reino.

E a maior parte da população está concentrada nas cidades. De 1980 a 2000, a população urbana na Amazônia quase triplicou, passando de 45% da população para 69%. As maiores concentrações estão em Belém e Manaus.

75654495
Vista aérea da cidade de Belém, uma metrópole amazônica.

Essa rápida urbanização resulta num grava problema de falta de saneamento: 30% das residências tem acesso à água tratada e 80% das residências não tem tratamento de esgoro. Essa deficiência se reflete nas altas taxas de mortalidade infantil, uma das maiores do país.


Indústrias na Região Amazônica

Dentre as regiões brasileiras a Norte é a de menor desenvolvimento industrial. Há décadas a região tem suas atividades econômicas associadas a setores de baixa complexidade tecnológica, nos ramos da produção de alimentos, tecidos, couro, borracha etc.

No final do século XX, a região começou a desenvolver atividades como mineração (Carajás) e metalurgia (Belém). Já no entorno de Manaus, ocorreu um maior desenvolvimento da indústria, sobretudo de eletroeletrônica.

O desenvolvimento da indústria na região de Manaus se deu a partir de 1967, e é associado à criação da Zona Franca de Manaus. Esse centro industrial atraiu empresas por meio de incentivos tributários. Isto é, as empresas lá instaladas deixaram de pagar tributos como forma de estímulo a se instalarem na região.

As empresas da ZFM (Zona Franca de Manaus) produzem televisores, DVDs, celulares e motos.

zfm
Vista aérea da Zona Franca de Manaus.

Apesar da ZFM ter levado progresso econômico para a região, o resultado não foi o esperado, pois as novas indústrias não trouxeram tanto progresso social à população local.

Beijo do pai!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s