Dívida externa

Oi filha querida,

Vamos agora conversar sobre dívida externa e suas consequências. Trata-se de outro tema polêmico em que você também será brindada com as imperdíveis observações do Marcelão.


Dívida externa

É o montante de débitos que um país possui, provenientes de empréstimos feitos no exterior. Estes empréstimos foram obtidos junto a bancos estrangeiros, governos de outros países, instituições financeiras internacionais (FMI – Fundo Monetário Internacional e Banco Mundial) ou mesmo investidores privados (o fundo de pensão dos professores de Ontario tem US$ 126 bilhões investidos).


Consequências negativas para a economia de uma país

Uma dívida externa muito elevada e mal administrada pode ser bastante prejudicial para um país, especialmente para países em desenvolvimento, pois cria dependência deste país para com seus credores. Nesses casos, o país muito endividado não consegue saldar seus compromissos de pagamentos da dívida ou compromete seus recursos para pagamento de juros.


Dívida externa brasileira

O Brasil tem dívida externa elevada (a 23ª maior do mundo). A dívida externa brasileira começou logo após o processo de independência, em 1822. Para obter o reconhecimento da Independência do Brasil por parte de Portugal, o Basil pagou 3 milhões de libras esterlinas, obtidas em forma de empréstimo junto à Inglaterra.


Observações do Marcelão

  • Não existe país sem dívida. Explico: nenhum governo tem dinheiro, o dinheiro que o governo usa, ou vem de impostos ou vem de empréstimos – não tem milagre nisso. Para fazer investimentos, tipicamente em infraestrutura (estradas, linhas férreas, portos, aeroportos, hidrelétricas etc) é normal que governos peguem empréstimos (internos e externos).
  • Os países ricos são os mais endividados e não os mais pobres, portanto, dívida externa não é algo sempre ruim. É ruim se é mal administrada (adivinha qual país já administrou muito mal sua dívida externa? Começa com B…). Os países de maior dívida externa são: Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Luxemburgo e Japão…
  • A taxa de juros paga por um país depende muito da confiança que os investidores têm neste país. Quanto pior o histórico de regularidade nos pagamentos, maiores os juros. O Brasil, ainda hoje, sofre as consequências da moratória (calote) de 1987.
  • Muitas vezes, um país obtém dinheiro para um fim específico e termina por empregá-lo para outros fins. Deste modo, contrai dívida externa, não realiza os investimentos necessários e compromete o futuro do país.

 


Exercício

A charge do post, reproduzida abaixo, representa algo verdadeiro? Por quê?

Dívida externa

Beijo do pai!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s