Dívida externa

Oi filha querida,

Vamos agora conversar sobre dívida externa e suas consequências. Trata-se de outro tema polêmico em que você também será brindada com as imperdíveis observações do Marcelão.


Dívida externa

É o montante de débitos que um país possui, provenientes de empréstimos feitos no exterior. Estes empréstimos foram obtidos junto a bancos estrangeiros, governos de outros países, instituições financeiras internacionais (FMI – Fundo Monetário Internacional e Banco Mundial) ou mesmo investidores privados (o fundo de pensão dos professores de Ontario tem US$ 126 bilhões investidos).


Consequências negativas para a economia de uma país

Uma dívida externa muito elevada e mal administrada pode ser bastante prejudicial para um país, especialmente para países em desenvolvimento, pois cria dependência deste país para com seus credores. Nesses casos, o país muito endividado não consegue saldar seus compromissos de pagamentos da dívida ou compromete seus recursos para pagamento de juros.


Dívida externa brasileira

O Brasil tem dívida externa elevada (a 23ª maior do mundo). A dívida externa brasileira começou logo após o processo de independência, em 1822. Para obter o reconhecimento da Independência do Brasil por parte de Portugal, o Basil pagou 3 milhões de libras esterlinas, obtidas em forma de empréstimo junto à Inglaterra.


Observações do Marcelão

  • Não existe país sem dívida. Explico: nenhum governo tem dinheiro, o dinheiro que o governo usa, ou vem de impostos ou vem de empréstimos – não tem milagre nisso. Para fazer investimentos, tipicamente em infraestrutura (estradas, linhas férreas, portos, aeroportos, hidrelétricas etc) é normal que governos peguem empréstimos (internos e externos).
  • Os países ricos são os mais endividados e não os mais pobres, portanto, dívida externa não é algo sempre ruim. É ruim se é mal administrada (adivinha qual país já administrou muito mal sua dívida externa? Começa com B…). Os países de maior dívida externa são: Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Luxemburgo e Japão…
  • A taxa de juros paga por um país depende muito da confiança que os investidores têm neste país. Quanto pior o histórico de regularidade nos pagamentos, maiores os juros. O Brasil, ainda hoje, sofre as consequências da moratória (calote) de 1987.
  • Muitas vezes, um país obtém dinheiro para um fim específico e termina por empregá-lo para outros fins. Deste modo, contrai dívida externa, não realiza os investimentos necessários e compromete o futuro do país.

 


Exercício

A charge do post, reproduzida abaixo, representa algo verdadeiro? Por quê?

Dívida externa

Beijo do pai!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s